Fale Conosco
  • phone
    (61) 3361-1550 | 98482-4961
  • location_on

    SIA Quadra 5C - Lote 17/18, nº 195, Sala 212, Edifício Sia Sul - Guará, Brasília - DF, 71200-055

Deixe sua Mensagem

5 dicas de gestão financeira para o pequeno empreendedor

Não importa o tamanho ou segmento do seu negócio, a gestão financeira é fundamental.

Banner Blog 01 03 21 - Contabilidade em Brasília | Diagnóstika Contabilidade - 5 dicas de gestão financeira para o pequeno empreendedor

Para o pequeno empreendedor, esse processo garante um negócio mais sustentável e passível de crescimento.

Com a falta de uma boa gestão, várias empresas com bastante potencial acabam tendo que fechar as portas, ainda mais em momentos de crise.

Muitos empreendedores não conseguem compreender muito bem como funciona a entrada e saída de dinheiro, por isso, podem começar a se enrolar na hora de administrar os recursos.

Como realizar a gestão financeira para o pequeno empreendedor?

Ter controle das finanças não é apenas anotar as entradas e saídas, é importante que o gestor aprenda alguns processos que podem ser um divisor de águas na administração do negócio.

O departamento financeiro é um dos mais importantes da empresa, até porque, é o dinheiro que determina qual caminho o negócio vai seguir. Diante de qualquer tomada de decisão, a primeira coisa a ser consultada são os recursos disponíveis.

Por isso, algumas dicas são fundamentais para assegurar que a gestão financeira do seu negócio está sendo feita de maneira correta. Confira!

1. Separe o dinheiro pessoal e empresarial

Na maioria das vezes, a gestão financeira para o pequeno empreendedor está longe da realidade. Afinal, o gestor entende que como o negócio é dele, ele poderá usar os recursos sempre que precisar.

Esse é um dos principais erros que ocorrem nos pequenos negócios.

É quase impossível apurar com exatidão os lucros quando os recursos são retirados a qualquer momento.

O empreendedor precisa saber quanto ele poderá retirar mensalmente e isso precisa ser feito depois da apuração dentro do período.

2. Controle os custos da empresa

Esse departamento demanda muita atenção da parte dos empreendedores, pelo fato de que sua lucratividade pode estar indo pelo ralo por causa dos custos altos e da precificação incorreta de produtos e serviços.

Devido a isso, para o pequeno empreendedor a gestão financeira entra com a descrição de todos os custos e divisão em fixos e variáveis. Assim, se tem uma visibilidade maior do que precisa ser reduzido para ampliar os lucros.

Para uma empresa ser competitiva na formação dos preços, isso precisa partir de um cálculo que é feito mediante a análise de despesas, afinal, é através disso que a empresa corre ou não o risco de ficar no vermelho.

3. Use um software de gestão

A tecnologia pode melhorar muito o seu negócio, com ela é possível armazenar e integrar dados facilitando a gestão.

Os sistemas de automação integrados reúnem informações de todos os setores da empresa. O resultado disso é rapidez na geração de dados, otimização do tempo e principalmente segurança.

Com tudo isso, fica mais fácil para o gestor tomar decisões mais ágeis e certas. Além do mais, terá a noção clara da lucratividade do negócio e onde vai precisar implementar mudanças para trazer mais benefícios para a empresa.

4. Criar um plano estratégico

O principal objetivo é determinar metas de crescimento, ou seja, saber onde a empresa quer chegar.

Porém, para isso somente criar metas não é o suficiente, é necessário analisar também como a empresa vai conseguir alcançar a meta com base nos seus recursos financeiros, humanos e materiais.

No planejamento estratégico, é preciso detalhar os caminhos que serão percorridos para que a empresa possa chegar no objetivo.

É fundamental que o negócio tenha essa perspectiva e ação para não acabar ficando estagnado.

5. Acompanhe os controles e crie melhorias

A gestão financeira para o pequeno empreendedor possui as mesmas etapas de uma empresa maior. Depois de implementada, é de extrema importância analisar constantemente os números.

Mantendo a organização, é possível avaliar o número de inadimplência, despesas futuras, projeção em vendas e até possibilidades de investimentos.

Como esse processo não tem começo, meio e fim, é possível fazer as devidas modificações sempre que possível.

 

Adaptação Contabilidade na TV.

Não perca mais nenhum post!

Assine nosso blog e receba novos posts frequentemente em seu email.

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Recommended
Reduza legalmente o pagamento de impostos e maximize os lucros.…
Cresta Posts Box by CP
shares

Preencha o Formulário abaixo para realizar o download do nosso e-book:

Classificação Internacional de Doenças (CID) em odontologia e estomatologia (CID - OE)