Fale Conosco
  • phone
    (61) 3361-1550
  • location_on

    SIA Quadra 5C - Lote 17/18, nº 195, Sala 212, Edifício Sia Sul - Guará, Brasília - DF, 71200-055

Deixe sua Mensagem

Qual a melhor tributação para clínicas odontológicas?

Qual A Melhor Tributação Para Clínicas Odontológicas - Contabilidade em Brasília | Diagnóstika Contabilidade - Qual a melhor tributação para clínicas odontológicas?

Se você pensa em abrir uma clínica odontológica ou um consultório, saiba que não é algo tão simples. Há a questão do planejamento, incluindo local, aparelhos, aproveitamento de espaços do estabelecimento etc. Mas um aspecto crucial é a definição da tributação para clínicas odontológicas e consultórios. Algumas perguntas precisam ser respondidas, como: Simples nacional para consultório odontológico ou lucro presumido? Como funciona o Simples Nacional para dentistas? Ser dentista autônomo ou pessoa jurídica? 

Neste artigo, vamos tratar exatamente sobre modalidades de tributação para clínicas odontológicas e tirar suas dúvidas. Ser dentista autônomo ou ter uma clínica odontológica com CNPJ? Como regulamentar minha clínica ou consultório odontológico? O que é melhor para o mim, conforme meus recursos e objetivos?

Siga lendo, e confira o essencial sobre tributação para clínicas odontológicas e consultórios.

Para começar: CPF ou CNPJ?

A primeira escolha que você tem que fazer antes de abrir um negócio na área de Odontologia é se vai utilizar CPF ou CNPJ. Ou seja: ser dentista autônomo ou pessoa jurídica? Essa resposta vai influir fundamentalmente no regime de tributação.

Falando em escolher, o ideal é que você faça um plano de negócios e avalie seus recursos, objetivos e meios para consegui-los, baseado em seu público-alvo e em seu ou suas especialidades como dentista. 

Vejamos:

Confira Nossas Especialidades - Contabilidade em Brasília | Diagnóstika Contabilidade

Pessoa jurídica

Conta com um CNPJ, que é o registro de sua empresa para o governo. Há várias alternativas para classificar sua empresa, o que vai delimitar a classificação tributária:

  1. Lucro presumido;
  2. Simples Nacional;
  3. Real.

Pessoa física

Caso você decida ser um dentista autônomo, vai utilizar seu CPF e um livro-caixa para controlar as finanças, entradas e saídas. Esses dados vão indicar a dedução dos seus impostos. Cuidado: como pessoa física, você pode pagar impostos mais elevados que como pessoa jurídica, dependendo do caso.

CNPJ: lucro presumido, Simples ou Real? 

A tributação para clínicas odontológicas depende de como o CNPJ é enquadrado: lucro presumido, Simples Nacional ou Real? 

O enquadramento no Simples veio facilitar a vida de empresários sem altos faturamentos, e todos os impostos são embutidos em uma guia única a ser paga mensalmente. Ele se baseia no faturamento bruto anual da empresa:

  • Limite de 81 mil reais: para Microempreendedores Individuais (MEIs);
  • Limite de 4,8 milhões de reais: Empresas de Pequeno Porte (EPPs).

Assim, o faturamento da sua clínica é que vai delimitar o tipo de empresa e a alíquota relacionada ao Simples. 

Agora, se você sonha alto e pretende um faturamento ainda maior que os apresentados acima, as possibilidades de enquadramento da empresa para definir o regime tributário são:

  • Lucro presumido: faturamento anual de no máximo 78 milhões, é uma modalidade de tributação para clínicas odontológicas bastante simplificado. A porcentagem da tributação fica entre 13,33% e 16,33%. Aqui, incidem vários impostos como: PIS e COFINS, CSLL e IRPJ, ICMS/ISS, INSS Patronal/RAT/Terceiros, Retenções e outros;
  • Lucro real: ainda que o faturamento anual do seu empreendimento não venha a ultrapassar 78 milhões de reais, é possível escolher a tributação baseada no lucro real. Essa alternativa exige controle mais rígido de receitas e despesas mensais, e, se no fim ficar claro que não existiu lucro, seu negócio não é obrigado a quitar os tributos incidentes dessa modalidade.

É indicado para empresas de médio e grande porte, e difere do lucro presumido pela apuração da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e do Imposto de Renda (IRPJ). Os tributos são iguais ao do presumido, exceto em certos casos e alíquotas.

Tudo bem, você entendeu que o enquadramento da sua clínica odontológica e o regime tributário dependem do faturamento. Por isso, projete o faturamento anual do seu empreendimento. Assim, vai saber a tributação e o tipo de empresa que lhe cabem. Atenção: nada de otimismo demais, pois, no início, você vai ter várias despesas com equipamentos, estrutura e profissionais.

Você gostaria de receber ajuda de um contador consultor? Nós podemos te ajudar!

Como saber qual a melhor tributação para um dentista?

Enfim, esta é a questão mais importante para você, profissional da área de Odontologia. 

Comece a estudar suas condições financeiras e seus objetivos, definindo em primeiro lugar se vai ser um dentista pessoa física ou pessoa jurídica. 

Saiba que você pode simular condições para avaliar a tributação da sua clínica odontológica ou seu consultório. 

Avaliando a tributação para pessoa física

Pessoa física, como mencionamos, utiliza livro-caixa para entradas e saídas do consultório: aluguel, despesas com funcionários, água, luz, telefone, Internet, materiais de escritório e principalmente da profissão. Falando em equipamentos odontológicos, estude com bastante cuidado seus fornecedores, pois os preços costumam variar muito, e nem sempre preço alto é sinônimo de qualidade. 

Aliás, qualidade deve ser sua prioridade: nada pior do que clientes insatisfeitos ou, ainda, correndo riscos ligados à sua saúde por aparelhos de baixo nível.

Enfim, lançando receitas e deduzindo despesas você chega ao montante tributável. Se a alíquota para realizar a tributação for de 27,5% e o valor abatido, 30% do imposto a ser quitado, é indicado que você faça uma simulação do quanto pagaria se se constituísse como empresa.

Avaliando a tributação para pessoa jurídica

Para realizar pagamento de tributação para dentistas definidos como pessoas jurídicas, pode-se escolher, como dissemos, o Simples Nacional, o lucro real ou o lucro presumido.

Após 2014, a PJ dentista podia enquadrar seus tributos somente em lucro real e lucro presumido, sendo que o presumido era o mais escolhido em razão de a alíquota do IR do lucro real ser mais elevado. Porém, em 2015 surgiu o Simples como mais uma alternativa de tributação para dentistas e outros empresários.

Simples ou lucro presumido?

Você deseja optar pelo melhor sistema de tributação para sua clínica odontológica, certo? Como saber se deve escolher lucro presumido ou Simples?

Decida a questão por meio de uma avaliação do seu caso, com o máximo de detalhes possível. Existem algumas variáveis importantes, e destacam-se o faturamento anual, a quantidade de funcionários e a alíquota ISS que o município onde seu estabelecimento vai estar localizado.

Comparando o Simples e o lucro presumido, considere ainda o imposto da Contribuição Previdenciária Patronal, já citado, o qual é incluído no Simples Nacional, mas é recolhido separadamente no lucro presumido.

Aliás, no regime do lucro presumido, a porcentagem varia de 13,33% a 16,33%, conforme o ISS estar 2% a 5%, e isso varia de acordo com cada cidade. 

O Simples envolve a Contribuição Previdenciária Patronal, com alíquota de 17,22% incidente no faturamento do estabelecimento.

Regularização de clínica ou consultório odontológico

Por fim, é bom que você tenha alguma ideia sobre como regularizar sua clínica ou consultório, pois envolve custos e eles podem determinar qual tributação para sua clínica odontológica você vai escolher.

Para formalizar sua clínica ou consultório, siga os seguintes procedimentos:

  • registre-se como autônomo ou empresa;
  • adquira software de contabilidade;
  • faça o contrato social;
  • providencie a inscrição estadual;
  • registre-se na junta comercial;
  • inscreva-se no INSS;
  • peça alvará à Vigilância Sanitária;
  • solicite laudo radiométrico se utilizar raio-X.

É sempre uma boa ideia consultar o CRO do local onde você vai abrir sua clínica ou consultório para receber maiores orientações sobre regularização do seu estabelecimento.

Conclusão

É, abrir uma clínica odontológica ou um consultório não é exatamente fácil, porém é perfeitamente viável implantar seu negócio com segurança e tributação adequada. 

Saiba que o mercado da Odontologia é um dos que mais tem crescido no Brasil nos últimos anos, o que é ótimo, mas significa concorrência. Então, tome muito cuidado ao planejar seu sistema tributário e detalhes do seu negócio, seja uma clínica ou um consultório. Lembre-se de que você pode mudar, por exemplo começar com um consultório, que, em geral, é mais em conta, e conquistar recursos para implantar uma clínica odontológica. 

Seja como for, lembre-se de algumas coisas que fazem diferença diante da concorrência:

  • identidade visual: logotipo e material publicitário;
  • marketing, essencialmente o digital: esteja presente na Internet, em especial nas redes sociais;
  • atendimento ao cliente;
  • funcionários qualificados;
  • fachada e decoração do ambiente;
  • sua qualificação, e a especialização contínua para atender melhor aos seus clientes.

Custos e tributação: o que não esquecer

Em um negócio, seja autônomo ou empresa, custos são de extrema importância.

Neste artigo, falamos de tributação para clínicas odontológicas e consultórios. E, como os custos e recebimentos influenciam diretamente na escolha da tributação para clínicas – e outras empresas – é importante que você faça um bom plano de negócios, registrando todas as despesas variáveis iniciais e as fixas mensais.

 

  1. Pessoa física arca com despesas como: aluguel e instalações, que podem ser deduzidas do Imposto de Renda. Mas os tributos do IR chegam a 27,5% se você resolver trabalhar de forma autônoma;
  2. Pessoa jurídica possui custos dependentes da modalidade de empresa. Algumas delas são: Sociedade Empresária Limitada, Sociedade Simples Limitada, Sociedade Simples Pura e Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI).

Enfim, esperamos que você tenha gostado do nosso conteúdo sobre tributação para clínicas odontológicas e consultórios. Se gostou, compartilhe! Deixe seu comentário ou dúvida, e faremos questão de responder. 

Se você desejar o auxílio de um consultor, fale com a gente. Temos toda a ajuda de que você precisa para começar com o pé direito e crescer cada vez mais.  

 

Compartilhe nas redes!

Marcadores:

Não perca mais nenhum post!

Assine nosso blog e receba novos posts frequentemente em seu email.

Comentários

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Preencha o Formulário abaixo para realizar o download do nosso e-book:

Classificação Internacional de Doenças (CID) em odontologia e estomatologia (CID - OE)