Fale Conosco
  • phone
    (61) 3361-1550 | 98482-4961
  • location_on

    SIA Quadra 5C - Lote 17/18, nº 195, Sala 212, Edifício Sia Sul - Guará, Brasília - DF, 71200-055

Deixe sua Mensagem

    Rotinas contábeis que você pode agilizar no Simples Nacional

    As rotinas contábeis no Simples Nacional têm como objetivo facilitar a vida do empreendedor, porém, mesmo assim, ainda tem sua complexidade.

    Banner Blog 18 01 21 (2) - Contabilidade em Brasília | Diagnóstika Contabilidade - Rotinas contábeis que você pode agilizar no Simples Nacional

    Mesmo que todos os impostos possam ser pagos em uma guia única mensal, é necessário que a empresa cumpra com diversas obrigações acessórias, como enviar declarações ao governo e manter seus documentos fiscais devidamente organizados.

    Por esse motivo, o auxílio de um contador é indispensável para manter as micro e pequenas empresas em dia com a legislação.

    Conheça melhor as rotinas contábeis do Simples Nacional e entenda como agilizar essas tarefas.

    Como são as rotinas contábeis no Simples Nacional

    As rotinas contábeis do Simples Nacional são pensadas para diminuir as burocracias para as micro e pequenas empresas, mas mesmo com isso, elas requerem bastante atenção do empreendedor e do contador.

    Ainda que o recolhimento de impostos seja feito em uma única guia mensal, os negócios que optaram pelo Simples Nacional não estão dispensados de suas obrigações acessórias, que são informações comprobatórias essenciais ao Fisco.

    Diariamente é preciso registrar todas as operações da empresa e há muitas declarações mensais e anuais que precisam ser enviadas dentro do prazo para não gerar o recebimento de multas e penalidades.

    Além do mais, é preciso estar atento à emissão e arquivamento de notas fiscais, escrituração fiscal e contábil, guarda de documentos e outras tarefas fundamentais para que o seu negócio esteja com a contabilidade em dia.

    5 rotinas contábeis no Simples Nacional

    As rotinas contábeis no Simples são aplicadas para micro e pequenas empresas (ME e EPP) e precisam ser direcionadas a um contador experiente.

    Lembrando que o MEI (Microempreendedor Individual) possui seu próprio regime tributário dentro do Simples (SIMEI) e está dispensado da maioria das obrigações.

    Veja quais são as obrigações diárias:

    1. Emissão de nota fiscal

    A principal rotina contábil de empresas optantes pelo Simples Nacional é a emissão de nota fiscal eletrônica a cada venda.

    Nesse caso, existem três tipos principais de notas fiscais:

    • Nota fiscal eletrônica (NF-e): nota fiscal emitida por empresas do comércio que recolhem ICMS (competência estadual) para registrar a venda de produtos
    • Nota fiscal de serviços eletrônica (NFS-e): nota fiscal emitida por empresas prestadoras de serviços que recolhem ISS (competência municipal) para registrar cada venda
    • Nota fiscal do consumidor eletrônica (NFC-e): nota fiscal emitida em lojas do varejo para registrar a venda direta de produtos e serviços ao consumidor (substituta do cupom fiscal).

    Ou seja, é obrigação da empresa emitir a nota correspondente à operação e arquivar os documentos fiscais.

    Geralmente, o próprio gestor ou responsável pelo financeiro emite as notas fiscais por meio de um software emissor e o contador utiliza os documentos para calcular impostos e emitir declarações.

    1. Escrituração fiscal e contábil

    As empresas do Simples também devem manter o registro e controle de seu negócio através da escrituração fiscal e contábil, que é de responsabilidade do contador.

    Veja os principais livros utilizados:

    • Livro Caixa: escrituração das movimentações financeiras e contábeis (caso não utilize o Livro Razão e Diário)
    • Livro Registro de Inventário: escrituração de movimentações do estoque
    • Livro Registro de Entradas: registro de entradas de bens, mercadorias, aquisições de serviços de transporte e comunicação, quando geram o ICMS
    • Livro de Serviços Prestados e Tomados: quando o município não adotar a Declaração Eletrônica de Serviços como uma das obrigações acessórias.
    1. Emissão e pagamento do DAS 

    Todo mês, as empresas do Simples Nacional precisam emitir o DAS (Documento de Arrecadação Simplificada) e pagá-lo dentro do vencimento.

    Essa guia de recolhimento unifica todos os impostos devidos pela empresa, e deve ser apurada após o dia 10 e paga até o dia 20 do período.

    Estes são os tributos incluídos no DAS, dependendo da atuação da empresa:

    • IRPJ – Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica
    • IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados
    • CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido
    • Cofins – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social
    • Contribuição para o PIS/Pasep
    • CPP – Contribuição Patronal Previdenciária
    • ICMS – Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação
    • ISS – Imposto sobre Serviços.
    1. Envio de informações pelo eSocial

    Faz parte das rotinas contábeis do Simples Nacional enviar mensalmente as informações trabalhistas pelo eSocial (Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas).

    O sistema foi criado para simplificar a legislação trabalhista, e inclui as seguintes obrigações a serem enviadas pela empresa:

    • Folha de pagamento do mês
    • Comunicados de dispensa
    • Livro de registro de empregados (LRE)
    • Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT)
    • Guia de Recolhimento do FGTS
    • Carteira de trabalho e previdência social (CTPS)
    • Quadro de horários de trabalho (QHT)
    • Guia da Previdência Social (GPS)
    • Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP)
    • Manual Normativo de Arquivos Digitais (MANAD).

    Cada tipo de informação deve ser registrada por meio dos eventos disponíveis no sistema, para manter a empresa em dia com as leis da CLT.

    1. Envio de declarações mensais e anuais

    Toda empresa que opta pelo Simples Nacional tem o dever de enviar algumas declarações mensais e anuais sobre a sua situação financeira e fiscal que constituem obrigações acessórias.

    Veja alguns exemplos de declarações mensais:

    • DCTFWeb: documento de competência da União que reúne dados de contribuições ao INSS.
    • DES (Declaração eletrônica de serviços): declaração mensal referente aos serviços prestados ou tomados que substitui o livro de registro (obrigatória em alguns municípios).

    Algumas declarações anuais:

    • Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (DEFIS): inclui diversos dados da empresa, como informações dos sócios, divisão do capital social, quantidade de colaboradores, valores retirados em razão do lucro e pró-labore, entre outras (deve ser enviada até o final de março de cada ano)
    • Declaração do Imposto de Renda (DIRF): informa as retenções do Imposto de Renda tanto das pessoas físicas quanto das jurídicas e deve ser enviada até o último dia de fevereiro.

    Agilize as rotinas do Simples Nacional com a Diagnóstika Contabilidade

    Como você pôde ver, o Simples Nacional não tem nada de simples. Então diante da cumplicidade desse regime tributário conte com uma empresa especialista no assunto.

    A Diagnóstika Contabilidade tem a expertise e diversas empresas tributadas pelo Simples Nacional.

    Converse com um especialista e não pague mais impostos do que o devido.

    Fale conosco!

    Não perca mais nenhum post!

    Assine nosso blog e receba novos posts frequentemente em seu email.

      Comentários

      Subscribe
      Notify of
      guest
      0 Comentários
      Inline Feedbacks
      View all comments
      Recommended
      O Microempreendedor Individual que no ano de 2020 excedeu o…
      Cresta Posts Box by CP

      Preencha o Formulário abaixo para realizar o download do nosso e-book:

      Classificação Internacional de Doenças (CID) em odontologia e estomatologia (CID - OE)